Enfim há uma queda significativa do desemprego

Mercado de Trabalho. Enfim há uma queda significativa do desemprego, o que transparece para a população em geral como o fim da crise econômica, aumentando a sensação de bem estar em termos mais difusos. O resultado do desemprego de dezembro mostra uma queda de 0,6 p.p. em relação ao mesmo mês do ano passado, tanto no dado original (11,6% para 11%) como em termos ajustados sazonalmente (12,16% para 11,55%). Parece pouco, mas não é, pois, o valor com ajuste sazonal ficou ao redor de 12% entre agosto de 2018 até maio de 2109, período no qual a recuperação gradual perdeu ímpeto. A massa salarial, que é o produto do emprego vezes o salário real, está crescendo ligeiramente acima de 2%, em linha com a expectativa de crescimento do PIB para o presente ano. A volta do desemprego para um dígito ainda deve demorar e só deve ocorrer no último ano do governo Bolsonaro, mesmo com a recuperação se acelerando no presente ano. Em termos médios, o desemprego caiu de 12,9% em 2017 para 11,9% em 2019, mas deve acelerar a recuperação no emprego formal como indicam os últimos dados do Caged. Em 2019 foram criadas 644 mil vagas formais, melhor resultado desde 2013.

pnad.png

Por Marcelo Kfoury, professor e coordenador do Centro Macro Brasil da FGV EESP.

 

Fonte: 
FGV EESP
Data da publicação: 
31/01/2020
Compartilhe
Veja a lista completa de notícias

Receba as notícias da FGV EESP