Sem acordo com os partidos, Bolsonaro não vai governar, afirma cientista político

É assim no mundo inteiro, afirma Limongi; bancadas temáticas, como a da Bíblia, têm poder limitado no Congresso

Associar presidencialismo de coalizão à corrupção, como fazem os bolsonaristas, "é um mito, uma bobagem sem tamanho", diz o cientista político Fernando Limongi, professor aposentado da USP que dá aulas na Escola de Economia da Fundação Getulio Vargas.

Corrupção, segundo ele, não é consequência inevitável da coalizão, prática que presidentes adotam para ter maioria no Congresso, oferencendo cargos a partidos para integrarem uma aliança.

Para ler a matéria na integra clique aqui.

 

 

Fonte: 
Folha de S.Paulo
Data da publicação: 
20/03/2019
Compartilhe
Veja a lista completa de notícias

Receba as notícias da FGV EESP